sábado, 20 de junho de 2015

alegria

a alegria, como quando ouvimos a voz das coisas - a planta que viceja, o bolo que cresce, o ar que rumoreja - é quando o corpo diz mais do que as palavras. as pernas querem mexer, as mãos bater, o peito avançar, os olhos procurar e as palavras, tímidas diante de tanto sentido, só sabem ahs, ihs, ohs e uhs. alegria é quando as palavras emburrecem.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

glamour

glamour e gramática têm a mesma origem: gramaris, que significa encantamento, magia. isso porque quem domina as regras do sistema possui, certamente, conhecimentos mágicos. é claro. a magia é ter total maestria sobre as regras, de forma tal que elas pareçam não existir. glamuroso é um gramático, no final das contas. nada mesmo é tão charmoso quanto saber o que é uma oração reduzida de infinitivo e não parecer que se a sabe.

terça-feira, 9 de junho de 2015

írisz.

é hoje o lançamento do meu novo livro "írisz: as orquídeas". apareça, a partir das 19, quando falo sobre o livro, na livraria da vila da rua fradique coutinho. te espero lá!

terça-feira, 2 de junho de 2015

israel

pedem que gil e caetano não toquem em israel porque o governo de lá é repressivo e segregador. sim, é. e a música é ( ou pode ser) libertária e agregadora. em israel, há milhares de pessoas assim, sedentas de espaços e tempos para se expressar. por que tocar em um lugar significa endossar o governo? por que negar a quem pode, a possibilidade de manobrar entre as margens do sim e do não? só há duas opções para cada pergunta? por que a vida virou vestibular? por que israel, e de cambulhada tanta coisa, virou um bloco uno e deixou de ser também um povo? claro que é justo e necessário que eles se apresentem também na palestina. posso ser ingênua, mas maior ingenuidade, acho, é fingir que Israel não existe.

sábado, 23 de maio de 2015

davi e silva

"ele falou baixinho: agradece os clientes por mim e cuida da mãe". "eu sei que não vou sair dessa, davi". foi isso que o silva disse para o irmão, davi, antes de morrer de uma infecção numa úlcera  mal medicada, em dezembro do ano passado. e foi isso o que o davi me contou, ontem à noite, no pascuale, explicando por que tem trauma de andar de moto. era o silva que o levava para casa, todas as noites e ele não pode subir numa moto porque lembra do irmão, "que foi como um pai para mim". a mãe, cearense, agora está aqui e davi está cuidando dela. o silva, que era chef de salão, digno que só ele, e agora que só o irmão, faz falta para nós, os clientes a quem ele pediu para agradecer. agradecer o quê, silvia?

quarta-feira, 13 de maio de 2015

utopia

no início o homem criou a cidade e o campo. e na cidade os homens se organizavam e desorganizavam, e no campo os homens se espalhavam e se concentravam. e o homem viu que era bom. dia um. no dia dois, o homem criou as palavras e, com elas, os nomes. e os homens passaram a se chamar uns aos outros e as coisas se aproximaram. e o homem viu que era bom. dia dois. no dia três, o homem criou as trocas e os presentes. e os homens, nas cidades e nos campos, trocaram pimentas por burros e palavras por martelos. e o homem viu que era bom. dia três. no dia quatro, o homem criou o papel e os pequenos cantos. e os homens se recolhiam, reapareciam, escreviam e liam. e o homem viu que era bom. dia quatro. no dia cinco, o homem criou o amor e o ódio, a alegria e a tristeza. e os homens fizeram amor e filhos e brigavam e faziam festas. e o homem viu que era bom. dia cinco. no dia seis, o homem criou as viagens e os descobrimentos. e os homens foram da cidade para o campo e do campo para a cidade e descobriram os óculos e o gramofone. e o homem viu que era bom. dia seis. no dia sete, o homem criou as histórias e os brinquedos. e os homens inventaram e brincaram. e o homem viu que era bom. dia sete. no dia oito o homem não criou deus, porque tudo estava bom assim.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

sino

sabendo dos meus pesadelos instransigentes, ontem, de dia das mães, a leda me deu um sino que filtra os sonhos. pediu para eu pendurá-lo ao lado da cama porque, durante a noite, ele agiria sobre mim, afastando os pesadelos. nessa noite mesmo sonhei com uma tela de computador, onde se liam as seguintes instruções: "como mudar as configurações do passado".