domingo, 17 de agosto de 2014

elas

quem são "elas"em "agora é que são elas"? serão as onças que bebem água? ou as chuvas onde as pessoas saem para se molhar? ou as essências que estão nos menores frascos? ou as panelas velhas que fazem comidas boas? ou as galinhas que encheram os papos de grão em grão? ou as águas passadas que não moveram os moinhos? ou as andorinhas sozinhas que não fizeram verões? ou as colheres que não se meteram nas brigas de marido e mulher? ou as boas intenções que encheram o inferno? ou são as muitas esmolas das quais os santos desconfiaram? ou as laranjas nas beiras das estradas? ou as cordas que sempre arrebentaram do lado mais fraco? ou as pérolas que não foram dadas aos porcos? quem são? hein?

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

etimologia

a etimologia é a utopia do passado atrás de um porvir menos quebrado. é o anjo de klee ao contrário, sendo arrastado para antes e vendo, as suas costas, um futuro sombrio que pode vir a ser melhor.

sábado, 9 de agosto de 2014

terça-feira, 5 de agosto de 2014

resto

ok. se não há mais utopias (e não as há) e o futuro murchou, se o cinismo não é a opção inevitável,  e o hedonismo tampouco (sem nem mesmo a utopia do presente e do prazer) o que resta além de vozes quebradas autoproclamadoras de si mesmas ou do silêncio pasmo e imóvel? o que resta é isso mesmo: o resto. restar, o mesmo que repousar, manter-se, ficar. ficar no resto, um passo atrás ou à frente. só um passo e não uma escalada ou um abismo. restemos. como partes e como repouso. um pouco no passado e um pouco no futuro, outro tanto no presente. não haverá paz, nem justiça ou democracia total. nem um gregarismo harmônico, beirando o totalitário. só o resto. tolerância, escuta, demora e alguma ousadia para pequenas grandes coisas e grandes coisas pequenas.

sábado, 2 de agosto de 2014

o

quero outra vez o estupor de descobrir - como aconteceu quando eu tinha uns oito anos - que todos os meses do ano terminam com a letra "o", menos abril.

domingo, 27 de julho de 2014

dose

se pharmakon é veneno e é remédio, o que determina sua eficácia é a dose, que, por sua vez, significa dom, doação e dádiva. saber dosar é saber doar.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

tempo

time é tempo e weather é tempo também. por um lado, como é bonito perguntarmos "como está o tempo?"e, com isso, qualificarmos a passagem dos dias. "o tempo está bonito", "o tempo está feio", "o tempo está chuvoso", como se o próprio tempo se vestisse para passar por nós e em nós. mas, por outro, que falta de poder reconhecer a chuva, o vento e o sol como coisas independentes e, com isso, acreditar, por alguns minutos, que somos marinheiros ou desbravadores guiados pelos fenômenos naturais.